"A vida é uma peça de teatro que não permite ensaios. Por isso, cante, chore, dance, ria e viva intensamente, antes que a cortina se feche e a peça termine sem aplausos" (Charles Chaplin)
Terça-feira, 18 de Março de 2008
Aventura não recomendada
À dias tive uma aventura não recomendada, era necessário deslocar-me para Chaves e não pretendia levar o meu carro então só tinha duas hipóteses, ou ia de autocarro ou então ia a pé.
 
Como podem imaginar não fui a pé, e aventura começou no dia anterior, foi necessário ligar para várias empresas de transportes e tentar arranjar horários compatíveis para “rapidamente” chegar ao meu destino.
 
Para vos situar o único expresso directo Leiria-Chaves partia às 12:30, ora a essa hora já o dia ia a meio, por isso não servia, então há que arranjar novas soluções.
 
A escolha levou-me a partir de Leiria às 07:15, com destino a essa grande cidade que é o Porto e lá começou a correria, sempre a 89 km’s/h , primeira paragem em Coimbra para tomar um café e “comprar” um jornal gratuito, no meio da confusão há passageiros que saem e outros que entram, destinam que se cruzam por breves instantes e rotas que seguem o seu caminho dia à dia.
 
Esta não é uma experiência nova para mim, pois no decorrer dos tempos da universidade fiz este trajecto durante 3 anos, quase todas as semanas e aí teria muitas aventuras para contar, mas passados 7 anos parece que nada evoluiu neste serviço, ou melhor acho até que regrediu, pois se antes os autocarros circulavam quase cheios, agora a sexta feira já não é sinónimo de confusão por estes lados, por outro lado os autocarros são os mesmos, mas em pior estado.
 
Uma hora já tinha passado e a viagem ia recomeçar, o tédio é muito e dormir não é possível naquelas condições, por isso o meio e a paisagem foi objecto de uma cuidado atenção.
 
A sinfonia continuava com a mesma musica (barulhos ensurdecedores provocados pelo próprio autocarro), o relógio marcava 09:55 e eu sabia que tinha uma ligação às 10:00 horas a 3 quarteirões da estação do Atlântico na Batalha, mas ainda não tínhamos chegado, a ansiedade pela paragem do autocarro era tanta que em desespero levou-me a pedir ao motorista para me deixar sair à porta da garagem, a muito custo ele acedeu, mas o relógio já marcava 10:00, mas como sou uma pessoa que não me deixo desistir assim tão fácil, desatei a correr pelas ruas do Porto até às instalações da RodoNorte, na esperança que um atraso da partida do autocarro, me desse um lugarzinho, mas ao virar da ultima esquina, lá estava a traseira do dito autocarro em movimento e já inalcançável.
 
Era quase hora de abrandar a corrida, mas ainda havia esperança de este parar num semáforo que existia logo de seguida, mas não, esse semáforo não estava do meu lado e por fim a corrida parou e esperança evaporou.
 
Só me restava recuperar o fôlego e caminhar até à avenida dos aliados, lugar mítico da cidade, aí decidi sentar-me um pouco para apreciar a cidade e fazer um lanche ali mesmo.
 
Mas a viagem não tinha terminado e sabia que teria que arranjar nova ligação para o meu destino, e sabia que tinha pelo menos 3 companhias de transportes com ligação possível, estava na hora de uma ronda pelos escritórios destas companhias.
 
11:00 era o novo horário de partida, e lá estava eu, mas desta feita sabia que só iria até Vila Real, chegada prevista às 12:30, depois seria hora de procurar aquela que seria a ultima ligação.
 
Sem pressas a chegada a Vila Real foi feita dentro do horário previsto, e a nova ligação só seria 1 hora depois, por isso novo passeio e novo lanche, mas desta feita numa cidade diferente, mais pobre e de gente mais humilde.
 
Finalmente entro naquele que seria a minha ultima ligação que ligava 2 cidades deste Portugal tão grande.
 
Sete horas depois chegava ao destino ……… sim sete horas.
 
Resumindo, fiz uma excursão pelas terras e caminhos que tão bem conheço, no bolso fiquei sem 25 euros (mesmo assim menos dispendioso que a viagem poupada do meu carro), mas a minha principal perda são as 7 horas perdidas nesta viagem e a paciência esgotada até ao limite, mas cheguei e os ecológicos vão dizer que a poluição foi muito menor, blá, blá, blá, a minha carteira agradece e depois de outros sete anos sou capaz de voltar a fazer nova viagem.

Depois dessa viagem tive ainda 2 experiências muitos tristes e uma delas muito única, mas não vou poder contar aqui, uma foi o motivo que me levou nessa sexta feira à minha terra e a outra foi uma ajuda que tive que dar num trabalhinho !!!!!

RT - 145



publicado por R T às 23:43
link do post | comentar | favorito

2 comentários:
De Susana a 19 de Março de 2008 às 11:13
Credo 7 Horas de Leiria a Chaves! Será que o dinheiro compensou! Tenho as minhas duvidas! ?
AI os caminhos de Portugal!
Beijos



De R T a 19 de Março de 2008 às 22:47
Para quando um blog, da minha amiga ?


Comentar post

O dono do blog
Junho 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


Pôr do SOL recente

Recordar é viver - aos me...

A minha operação - parte ...

Operação ao nariz - PARTE...

A minha operação ao nariz...

Airbus 340-600

Piratas do Caribe 4 - Tra...

A anedota do PAI espertal...

Alto Minho - Férias da Pa...

Ai que bom !!!!! hum hum ...

Serviço publico - Novos s...

arquivos

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds