"A vida é uma peça de teatro que não permite ensaios. Por isso, cante, chore, dance, ria e viva intensamente, antes que a cortina se feche e a peça termine sem aplausos" (Charles Chaplin)
Sexta-feira, 26 de Junho de 2009
Viagem Portimão - Funchal Parte 2

se não leram a parte um deste post,  passem por lá um pouco mais abaixo do vosso monitor.

 

 

Agora estava por minha conta e tinha o meu companheiro de aventura ali parado na fila, para dar entrada no porão do navio que nos levaria até ao Funchal.

 

Para matar o tempo fui lanchar e ler o jornal no capot da minha viatura, a fila começa a andar e a logística da coisa começa a mostrar a sua agilidade e rapidez, em 20 minutos estava lá dentro.

 

Uma vez lá dentro, parece que vamos para uma fila no IC19 em Lisboa, todos arrumadinhos em fila indiana, lá ficam as nossas máquinas, umas carregadas até a tona outras nem tanto, não sei se por alta do que colocar ou se com medo de algum tipo de controlo, mas ao que me foi dado a observar não há qualquer controlo de peso ou tipo de carga que cada viatura possui, apenas os bilhetes de embarque foram verificados, bem como a identidade das pessoas que embarcavam.

 

 

Agora estacionados, sempre com ajuda e supervisão de elementos da tripulação do ARMAS, havia que certificar como se deixava a maquina e os pertences lá dentro, mas uma duvida permanecia e condicionava o meu próximo passo, qual seria a liberdade para nos deslocarmos à nossa viatura durante a viagem? Foi então que perguntei ao elemento da tripulação que ajudava a estacionar a fila ao lado de viaturas, este informou que haveria 4 visitas programadas ao porão e com hora marcada e aviso sonoro pelo barco, e que a primeira seria as 23:30.

 

Por prevenção e outros motivos, a princesa tratou de comprar no dia anterior algumas provisões, que pela manhãzinha tratei de arrumar a minha maneira na mochila semi-termica, alguma fruta, iogurtes líquidos, agua e sandes.

 

Como tinha acabado de lanchar, decidi levar numa mochila comigo apenas o essencial até as 23:30, jornais, 2 frutas e uma camisola e claro a máquina fotográfica.

 

E começou a exploração dentro do navio, em principio segui atrás das outras pessoas, pela porta de aceso ao interior através do porão, depois como não senti nenhuma barreira decidi optar por qualquer outro corredor para ver até onde me levava, certo é que o sentido ascendente era sempre o mais apetecido, até que rapidamente cheguei ao topo, onde estava a parte mais interessante, uma bela vista para Portimão, para a logística de carga dos camiões e o bar com piscina em frente, comecei logo a gostar do que via.

 

Como a minha única experiência em barcos fora uma travessia de Setúbal até Tróia, sentia-me totalmente um caloiro, e talvez por isso as expectativas relativamente a este barco e a esta viagem fossem muito simples, e talvez por isso agora sinta que as áreas eram boas, os corredores e escadarias eram de dimensões apropriadas, as casas de banho nada tinham a ver com aviões ou autocarros (eram melhores e mais espaçosas), e tinha uma área grande de self service para refeições, dois bares um no interior outro junto à piscina e várias zonas com poltronas para os passageiros repousarem (é claro quem estiver disposto a dispensar um pouco mais dinheiro, poderá optar pelas camarotes com cama, não foi o meu caso).

 

Falta ainda dizer que no bar interior têm uma zona junto às janelas com tomadas eléctricas para PC (que tiver, pode optar por levar e sempre dá para ver filmes, trabalhar, jogar e ir à internet enquanto apanhar rede). Junto à piscina e ao bar exterior têm várias espreguiçadeiras e mesas e cadeiras para desfrutar da brisa e da vista, sempre com música ambiente.

 

 

Depois de cerca de 24 camiões carregados nos porões (em separado das viaturas ligeiras), o pessoal era cada vez mais no terraço junto à piscina na traseira do navio (ou será ré do navio ?), hora de partir  (21:30) com 15 minutos de atraso mas com festa a animar a partida, o sol já se tinha posto, agora ficava o porto de Portimão e toda a cidade para trás, envolvido com a animação a bordo dou por mim e olho para o fundo e já mal se via as luzes de Portimão, era hora de conhecer bem de perto o Oceano atlântico, mas cá fora já sentia a hora de vestir uma camisola, pois a brisa já se tornava fresquinha, e a viagem seguia muito confortável, com receio tomei um comprimido para o enjoo, pois não quis que a minha única recordação desta viagem fossem as casas de banho e os gritos pelo Gregório, mas não senti qualquer coisa parecida com isso, até porque não se sentia oscilação, não sei se por ser um navio grande ou porque o mar estava relativamente calmo, apenas senti mais essa oscilação quando vinha ao porão, talvez por estar mais perto da agua, tinha também o receio forte que ao ler qualquer coisa a bordo esse efeito de enjoo fosse maior, mas também esse não se concretizou, li os meus jornais e revistas e pelo meio ainda ouve o grupo de animação do navio que fez um espectáculo e animou todo o pessoal até à hora de “deitar”.

 

O dia já ia longo o João Pestana começava a aparecer, hora de comer uma fruta e procurar uma poltrona sossegada onde me pudesse dobrar para umas horas de sono, quem me conhece sabe que quando é hora de dormir durmo em qualquer lugar, por isso não foi a melhor noite de sono, mas lá se arranjou, havia no entanto várias opções, houve quem às 23:30 fosse a viatura buscas uns colchões de pano e se entendesse à frente das poltronas, ouve até que escolhesse as espreguiçadeiras no exterior para dormir e acordar a ver o nascer do sol, enfim e houve quem tivesse direito a uma caminha (dupla) lá no seu camarote.

 

esta aventura ainda não terminou, a parte 3 chega dentro em breve...

 

 

RT 3170

 



publicado por R T às 16:26
link do post | comentar | favorito
|

3 comentários:
De Ana a 30 de Junho de 2009 às 12:10
Bem, parece fascinante. C grande pena minha já n vou poder fazer essa viagem, já n há vagas para a altura k posso, mas px ano estou lá de certeza. Agradou-me a parte de se dormr na esperguiçadeira cá fora, deve ser lindo o nascer do sol no meio do Atlântico...


De Miguel Reis a 24 de Agosto de 2009 às 12:47
bom dia

Gostaria de saber se as refeições a bordo (buffet) são pagas à parte ou incluidas no preço da passagem.

Cumps


De R T a 26 de Agosto de 2009 às 23:17
Caro,

As refeições, e o bar são pagos à parte.
Não é barato, mas também não é caro.

Cump

Rt


Comentar post

O dono do blog
Junho 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


Pôr do SOL recente

Recordar é viver - aos me...

A minha operação - parte ...

Operação ao nariz - PARTE...

A minha operação ao nariz...

Airbus 340-600

Piratas do Caribe 4 - Tra...

A anedota do PAI espertal...

Alto Minho - Férias da Pa...

Ai que bom !!!!! hum hum ...

Serviço publico - Novos s...

arquivos

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

ONLINE
online
links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds